17 de jun de 2012

Tigre vence e é o líder isolado da Série B

Contra o ASA em Arapiraca, Tricolor fez 2 a 1 e chegou aos 15 pontos

Artilheiro Zé Carlos fez um dos gols do Tigre. Foto: Fernando Ribeiro

O Tigre foi até o estado de Alagoas buscar a liderança da Série B e conseguiu. Jogando no estádio Coaracy da Mata Fonseca, o Fumeirão, o Tricolor não deu chances ao ASA e, mesmo com gol anulado, venceu a partida pelo placar de 2 a 1.

A partida do Criciúma foi articulada nos contra-ataques. Em uma destas jogadas, Zé Carlos abriu o placar aos 20 minutos do primeiro tempo, após receber lançamento de Marlon e fazer um golaço, por entre as pernas do goleiro Gilson.

O segundo tempo começou e o Tigre ampliou. Nirley, de cabeça, fez 2 a 0. O Criciúma poderia matar o jogo aos 25, mas o árbitro Eduardo Tomaz de Aquino anulou um gol legal do time catarinense.

Lucca armou contra-ataque sozinho e fez o gol. A bola furou a rede, e o juiz entendeu que não teria entrado, passando pelo lado de fora da meta. Com esta interpretação, o árbitro anulou de forma incorreta o que seria o terceiro gol do Criciúma.

No último lance da partida, o ASA descontou. Após cobrança de pênalti de Lúcio Maranhão e defesa de Douglas leite, Roberto Jacaré ficou com a sobra e, de cabeça, fez o único gol do time da casa na partida.

Com a vitória, o Criciúma chegou aos 15 pontos no Brasileirão da Série B, e é o líder isolado, com dois pontos de distância para os dois Américas (MG e RN) e para o Vitória. Na próxima partida, o Tigre reencontra sua torcida no Heriberto Hülse. O adversário será o Guaratinguetá, às 16h20 do próximo sábado, 23/06.

Confira a classificação atualizada da Série B:


Primeiro tempo:

O Criciúma começou o jogo dando sinais de que pressionaria o ASA, mas os primeiros lances de perigo foram do time da casa. Aos dez minutos, Didira apareceu na direita e chutou forte para a boa defesa de Douglas Leite. Aos 13, Diego Borges completou cruzamento de cabeça e o goleiro do Tigre agarrou mais uma.

A saída para o time catarinense foi jogar nos contra-ataques. A estratégia deu certo, e aos 20 minutos, Zé Carlos recebeu lançamento de Marlon, dominou e chutou entre as pernas do goleiro Gilson para fazer o primeiro gol do jogo.

O Tigre falhava no setor defensivo e permitia as chegadas do ASA. No final da primeira etapa, o time da casa quase se igualou no placar. A bola sobrou para o artilheiro Lúcio Maranhão, que tinha condições de ir para o gol, mas se atrapalhou e chutou na zaga catarinense.

No lance, os alagoanos pediram pênalti, alegando que a bola teria batido no braço de um jogador do Criciúma, mas o árbitro não assinalou.


Segundo tempo:

Os lances de perigo demoraram a acontecer na segunda etapa. Na primeira chegada do Criciúma, aos 12 minutos, Nirley recebeu cruzamento e cabeceou para fazer o segundo gol e aumentar a vantagem do Tricolor.

Seis minutos mais tarde, Lúcio Maranhão apareceu novamente no jogo, cabeceando por cima da meta de Douglas Leite. Aos 25, o Criciúma mataria a partida, mas teve seu gol anulado.

Lucca avançou com a bola em contra-ataque e chutou para o gol. A bola furou a rede da meta do estádio Coaracy da Mata Fonseca, e o árbitro entendeu que ela teria batido no lado de fora das redes.

Com esta interpretação, Eduardo Tomaz de Aquino anulou, de forma incorreta, o que seria o terceiro gol do Tigre. Os jogadores do Tricolor reclamaram e fizeram confusão, mas de nada adiantou e o árbitro não voltou atrás.

Aos 30 minutos, Roberto Jacaré chutou forte e Douglas Leite defendeu. Aos 45, Matheus Ferraz fez pênalti. Lúcio Maranhão cobrou e o goleiro tricolor pegou, mas deu rebote. Bem posicionado, Roberto Jacaré cabeceou a sobra e fez o gol de honra do time da casa.


Escalações:

ASA: Gilson; Audálio, Gaúcho (Roberto Jacaré), Diego Borges; Gabriel, Cal, Jorginho, Didira (Danilo), Valdivia (Elvis) e Chiquinho Baiano; Lúcio Maranhão – Heriberto da Cunha.

Criciúma: Douglas Leite; Ezequiel, Matheus Ferraz, Nirley e Marlon; Diego Oliveira, Fransérgio (André Gava), Diego Felipe (Ozeia) e Kléber (Elias); Lucca e Zé Carlos – Paulo Comelli.


Gols: ASA: Roberto (47/2º).
          Criciúma: Zé Carlos (20/1º), Nirley (12/2º).

16 de jun de 2012

Figueira perde para o Cruzeiro na Arena Independência


Time catarinense joga muito bem no primeiro tempo, mas cai no segundo

Cruzeiro vence em sua volta à Belo Horizonte. Foto: Washington Alves

O Figueirense enfrentou o Cruzeiro em sua volta à Belo Horizonte depois de 2 anos e 14 dias jogando fora de sua cidade. A Arena Independência foi o palco da partida, e os quase 24 mil torcedores viram Wellington Paulista fazer o único gol do jogo e dar a vitória para o time celeste.

O primeiro tempo foi dominado pelo Alvinegro de Florianópolis. O Figueira chegava ao ataque muitas vezes com Julio Cesar, Almir e Aloisio. O destaque da etapa, no entanto, foi o goleiro Fábio, que fez diversas defesas difíceis e salvou o Cruzeiro.

A segunda etapa foi do Cruzeiro. O time mineiro voltou do intervalo com nova postura e abriu o placar aos 20 minutos. Wellington Paulista recebeu passe de Souza, que havia acabado de entra no jogo, driblou o goleiro Wilson e fez o único gol da partida.

Mesmo fazendo uma boa partida, o Figueirense pecou nos detalhes e acabou perdendo pontos em BH. O bom futebol apresentado acabou ofuscado pela derrota.

Com a derrota, o Figueira permanece com seis pontos e é, provisoriamente, o décimo colocado da Série A do Campeonato Brasileiro. A próxima partida do Alvinegro é contra o Bahia, no estádio Orlando Scarpelli, às 16h00 do domingo, dia 24/06.

Confira a classificação atualizada da Série A:


Primeiro tempo:

Logo a um minuto de jogo, Julio Cesar chutou prensado e bola sobrou para Túlio, que bateu por cima do gol. Aos seis, Almir tocou para Pablo, que cruzou para Aloisio chutar à queima roupa e forçar Fábio a fazer uma bela defesa.

A pressão era totalmente alvinegra. Aos dez minutos, Aloisio avançou pela direita e chutou para mais uma defesa de Fábio. Quando o goleiro cruzeirense não chegou na bola, teve a ajuda da trave. Julio Cesar cobrou falta com força e acertou o poste direito do gol.

Dois minutos depois, o estreante Almir mostrou seu bom futebol aparecendo pela esquerda e cruzando para Caio, que cabeceou para o desvio da zaga. Aos 17, o Cruzeiro respondeu com Fabinho, que cabeceou para fora.

Aos 18 minutos, Almir chutou para o gol da meia da lua grande área, mas a bola chegou fácil para Fábio. A zaga cruzeirense estava perdida e muito nervosa, enquanto o Figueira pressionava o time celeste.

Aos 33, Julio Cesar apareceu pela esquerda, mas chutou prensado. Na última chance da primeira etapa, Julio carregou a bola pelo meio e bateu cruzado de fora da área. A bola venenosa passou à esquerda do gol defendido por Fábio.


Segundo tempo:

O Figueira voltou para a segunda etapa pressionando novamente. Antes do primeiro minuto, Aloisio apareceu sozinho na área e chutou para nova defesa de Fábio. Aos cinco minutos, após cobrança de escanteio, Anderson Conceição cabeceou e o goleiro cruzeirense pegou mais uma.

A partir daí, a pressão foi do time da casa. Aos 11 minutos, Wellington Paulista recebeu cruzamento e cabeceou para a defesa de Wilson. Nove minutos depois, o atacante não perdoou. Ao receber passe de Souza, Wellington driblou Wilson e fez o único gol do jogo.

A partida esfriou depois do gol cruzeirense. Aos 23 minutos, Julio Cesar cobrou falta por cima do gol. Os dois times se preocupavam com a defesa, e o jogo passou a ficar truncado no meio de campo.

As últimas tentativas de jogo foram de Canuto, aos 44 minutos. Na primeira, o zagueiro alvinegro cabeceou e Fábio defendeu. Na sequencia da jogada, o argentino chutou, mas o goleiro cruzeirense não permitiu o empate.


Escalações:

Cruzeiro: Fábio; Diego Renan, Mateus, Léo e Everton; Amaral (Leandro Guerreiro), Charles e Montillo; Wallyson (Souza), Fabinho (Willian Magrão) e Wellington Paulista.

Figueirense: Wilson; Pablo (Jackson), Canuto, Anderson Conceição e Guilherme Santos; Ygor, Túlio e Almir (Botti); Caio, Julio Cesar (Luiz Fernando) e Aloísio.


Gols: Cruzeiro: Wellington Paulista (20/2º).

JEC empata por 1 a 1 com Ceará na Arena

Pênalti mal marcado originou o gol do time visitante

Fernando Henrique fez ótimas defesas e salvou o Ceará. Foto: Salmo Duarte

Jogando em sua casa, o Joinville empatou com o Ceará por 1 a 1 na tarde deste sábado. Com um ótimo primeiro tempo e um fraco segundo, o Tricolor não conseguiu superar o time cearense.

O primeiro tempo foi favorável ao JEC, que fez seu primeiro gol aos 20 minutos. Em bela jogada, Eduardo lançou Tiago Real dentro da área. O meia parou, pensou e tocou para Lima, que chutou de chapa com tranquilidade para abrir o placar.

Ainda no final da primeira etapa o Ceará começou a igualar as ações em campo. Voltando forte do vestiário, o Vozão empatou o jogo aos quatro minutos do segundo tempo.

O gol de empate foi marcado por Romário, em cobrança de pênalti. A penalidade, porém, foi mal assinalada pelo árbitro, porque Leandro Carvalho derrubou Mota fora da área.

Sendo pressionado dentro de casa durante boa parte do segundo tempo, o Joinville foi para cima do adversário nos minutos finais, mas já não havia tempo suficiente, e o Tricolor ficando no empate com um sabor de derrota.

Com o empate, o JEC chegou aos 11 pontos e é, provisoriamente o quinto colocado. A próxima partida do JEC é na sexta-feira, 22/06, às 21h00, contra o Paraná, no estádio Durival de Brito, em Curitiba.



Confira a classificação atualizada da Série B:


Primeiro tempo:

Aos cinco minutos, Lima recebeu, invadiu a área e bateu de esquerda para a defesa de Fernando Henrique. Aos dez, quem chegou foi o meia Ricardinho, que chutou de direita para nova defesa de FH.

O JEC dominava amplamente a partida. Aos 13 minutos, Lima recebeu lançamento e saía de cara com o gol, mas a zaga afastou a bola. Um minuto depois, o Ceará chegou ao ataque pela primeira vez no jogo. Rogerinho driblou e chutou de fora da área, rasteiro. A bola passou à esquerda do gol de Ivan.

Aos 20 minutos, Eduardo lançou Tiago Real dentro da área. O meia tricolor parou, pensou e tocou para Lima, que bateu de chapa com tranquilidade e abriu o placar para o Joinville, 1 a 0.

Dez minutos depois, o JEC deu três chutes a gol na mesma jogada. O primeiro foi de Lima, sobre a zaga. A segunda tentativa, de Ricardinho, foi defendida por Fernando Henrique. No rebote, Romano chutou forte e FH espalmou, colocando a bola para escanteio.

Aos 33, nova chegada do time cearense. Rogerinho cruzou para Jardel, que cabeceou por cima. Cinco minutos depois, Romário avançou pela esquerda, puxou para o meio e bateu rasteiro, à direita do gol defendido por Ivan.

Aos 39 minutos, Lima fez bem o pivô e rolou para a chegada de Leandro Carvalho, que chutou por cima do gol. A última chance da primeira etapa foi do Ceará. Eusébio avançou pela esquerda e chutou forte. A bola passou raspando o travessão do goleiro Ivan.


Segundo tempo:

A segunda etapa foi diferente da primeira, porque o Ceará passou a ser mais ofensivo e igualar as ações com o Joinville. Aos três minutos, Mota foi derrubado por Leandro Carvalho fora da área, mas o árbitro assinalou pênalti. Na cobrança, Romário bateu no canto e empatou a partida.

O time cearense se empolgou com o empate e, por alguns momentos, chegou a dominar a partida na Arena. Aos 19 minutos, Romário avançou pela direita e chutou forte, cruzado. Ivan se esticou todo e conseguiu espalmar a bola para fora.

Aos 27, Eusébio arriscou pela esquerda, e a bola passou por cima do gol de Ivan. Quatro minutos depois, o Joinville também teve seu momento de perigo. Lima recebeu cruzamento e cabeceou à queima roupa para bela defesa de Fernando Henrique.

Aos 41, nova chance cearense. Robston cobrou falta de longe com muita força, e acertou o travessão do goleiro Ivan.


Escalações:

Joinville: Ivan; Eduardo, Pedro Paulo, Linno (Jean Carlos) e Romano (Carlos Alberto); Leandro Carvalho, Glaydson, Ricardinho e Tiago Real; Alex (Marcinho) e Lima.

Ceará: Fernando Henrique; Apodi, Luizão, Daniel Marques e Éverton (Heleno); Jardel, Eusébio, Robston e Rogerinho (Misael); Mota e Romário (Itamar).


Gols: Joinville: Lima (20/1º)
           Ceará: Romário (4/2º)

15 de jun de 2012

Avaí vence o líder América-MG e mostra força para lutar por acesso


Jogando na Ressacada, Leão fez 2 a 0 no Coelho de Minas Gerais

Estreante, Diogo Acosta fez seu primeiro gol pelo Avaí. Foto: Kadu Reis

Na noite desta sexta-feira, o Avaí recebeu o América-MG numa Ressacada fria e com muito vento. Poucos torcedores foram ao campo, talvez pelo horário do jogo e o clima, talvez por desconfiança do time. Sorte dos que foram e presenciaram uma bela vitória avaiana sobre o líder do campeonato.

No primeiro tempo, apenas o Avaí jogou. O prêmio veio no último minuto da etapa. Após cobrança de escanteio e desvio de Cássio, que completava 100 jogos, com a camisa do Leão, Julinho deu uma bela bicicleta e fez um belo gol para abrir o placar e lembrar os torcedores do “gol de placa” feito por Evando em 2008, o ano do acesso.

O jogo ficou mais equilibrado no segundo tempo, com maior presença do Coelho no ataque. Aos 33 minutos, o estreante Diogo Acosta fez seu primeiro gol com a camisa avaiana e deu a vitória ao Leão e aos pouco mais de quatro mil torcedores presentes.

Com o resultado, o Avaí subiu para a quinta colocação na Série B, com 10 pontos. A próxima partida do Leão é contra o Guaratinguetá fora de casa, na próxima sexta-feira, às 21h00.

Confira a classificação atualizada da Série B:


Primeiro tempo:

Os primeiros 45 minutos de jogo foram marcados pelo esquema defensivo do América Mineiro, enquanto o Avaí buscava jogo, porém sem muito sucesso. Antes do primeiro minuto o Leão deu um chute a gol. Julinho pegou de fora da área e bateu rasteiro, sem muita força. Defesa do goleiro Neneca.

Aos dois minutos, Mika chutou de fora da área e a bola passou por cima do gol. Três minutos depois, Cleber reclamou de falta sofrida no meio do campo e a situação esquentou. O juiz Devarly Lira do Rosário deu uma bronca no 10 do Avaí e o meia retrucou.

Aos 17 minutos, Diogo Acosta fez boa jogada e rolou para Diogo Orlando chutar para o gol. A bola foi muito alta e passou por cima da meta de Neneca. O América teve sua primeira chance aos 26 minutos, em confusão na zaga avaiana. Diego defendeu o chute de Rodriguinho.

Pirão foi lançado na área aos 32 minutos e tocou por cima de Neneca na saída do goleiro. A zaga interviu e salvou o Coelho. Mas aos 45 minutos, ninguém conseguiu salvar. Após cobrança de escanteio e desvio de Cássio, Julinho emendou uma bicicleta e fez um golaço na Ressacada para abrir o placar.


Segundo tempo:

Logo no primeiro minuto da segunda etapa, Pirão cruzou para Diogo Acosta. O atacante cabeceou e obrigou o goleiro americano a fazer uma grande defesa. Seis minutos depois, Mika chutou de fora da área e errou por pouco.

Mika continuava chegando ao ataque e, aos 12 minutos, apareceu sozinho pela direita, mas foi travado no momento do chute. Seis minutos depois, o Coelho, mais ofensivo, chegou ao ataque. Leandro Ferreira chutou de longe para fora.

Quando era o América que pressionava, o estreante Diogo Acosta acabou com as pretensões do time mineiro. O estreante recebeu na intermediária, driblou o marcador e bateu forte, rasteiro, no canto. Neneca falhou e não segurou, 2 a 0 para o Avaí.

O time mineiro ficou nervoso com o segundo gol azurra. Gabriel reclamou com o árbitro aos 39 minutos e foi expulso de campo. Com 10, a missão americana ficou ainda mais difícil, e, com gritos de “olé” vindos das arquibancadas, o Avaí manteve o resultado, 2 a 0.


Escalações:

Avaí: Diego; Diogo Orlando, Cássio, Leandro Silva e Pirão; Bruno, Mika (Marcinho Guerreiro), Patric (Laércio), Cleber Santana e Julinho (Jailton); Diogo Acosta – Hemerson Maria.

América-MG: Neneca; Rodrigo Heffner (Thiaguinho), Everton, Gabriel e Bryan (Pará); Dudu, Leandro Ferreira, Gilberto e Rodriguinho; Bruno Meneghel (Alessandro) e Fábio Júnior – Givanildo Oliveira


Gols: Avaí: Julinho (45/1º), Diogo Acosta (33/2º).

Séries C e D seguem sem início definido

Treze-PB é a pedra no sapato da CBF

Depois de uma semana que deu sinais de possível início das Séries C e D devido as vitórias da Confederação Brasileira de Futebol nos tribunais sobre Rio Branco-AC, Araguaína-TO, e Brasil-RS, sobra ainda o Treze-PB como obstáculo para a largada das competições.

O clube conseguiu outra vitória sobre a CBF hoje, e o pedido da entidade para cassar a liminar do Treze foi indeferido. A vitória anima os dirigentes do Galo da Paraíba, e o clube se mostra firma na briga contra a Confederação.

“Não vamos retirar uma vírgula. Hoje, o requerimento da CBF foi indeferido pelo desembargador Abraham Lincoln (presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba). A gente já ganhou as três instâncias; Agora, vamos esperar o que a CBF vai propor. Se for cumprida a Lei, o Treze estará na Série C”, disse convicto o diretor do Treze, Eder Dantas.

O diretor ainda afirmou: “Aonde formos, ganhamos essa briga nos tribunais. Em Brasília derrubamos duas liminares. Vamos comparecer à reunião na CBF na próxima segunda-feira, 18/06, e ver o que vai acontecer. Mas mantemos firmemente a nossa posição”.

10 de jun de 2012

Figueira fica no 0 a 0 com a Ponte Preta e é o nono na Série A


Jogando no estádio Orlando Scarpelli, Alvinegro não conseguiu fazer gols

Caio passou em branco pela primeira vez pelo Figueira. Foto: Kadu Reis

Após duas partidas fora de casa, o Figueirense voltou ao estádio Orlando Scarpelli para enfrentar a Ponte Preta neste domingo. Com um primeiro tempo morno e criando muitas chances na segunda etapa, o Alvinegro não conseguiu converter as oportunidades em gols e apenas empatou em 0 a 0 com a Macaca.

O time catarinense começou a partida com três volantes e não agradou o técnico Argel Fucks. Ainda no primeiro tempo o treinador tirou Jackson e colocou Luiz Fernando no jogo, o que deu maior movimentação ao meio campo alvinegro.

Na volta do intervalo, outra mudança. Entrou Aloisio e saiu Ronny. Aos 18 minutos, o Figueira teve o zagueiro Sandro expulso e terminou mais um jogo com dez em campo. Com um jogador a menos, o Furacão criou oportunidades, mas não conseguiu sair do zero.

Com o empate, o Figueirense chegou aos seis pontos no Brasileirão, e continua invicto. O Alvinegro, que está em nono na tabela de classificação faz a próxima partida fora de casa, contra o Cruzeiro, no sábado, 16/06, às 18h30, no Independência.


Primeiro tempo:

O primeiro tempo foi movimentado, mas com pouca qualidade técnica nos dois times. Baraka chutou a gol com 30 segundos de partida. No minuto seguinte, aconteceu a primeira e mais perigosa chegada do Figueira na primeira etapa. Após cruzamento, bola sobra para João Paulo Goiano dentro da área, mas a zaga paulista cortou.

Aos sete minutos, Caio arrancou pela direita e bateu. A bola ia em direção ao gol, mas desviou em Tiago Alves e saiu pela linha de fundo. A Macaca respondeu dois minutos depois. O lateral-esquerdo João Paulo cobrou falta e Caio, ex-Avaí, desviou de cabeça, fazendo a bola passar muito próxima ao gol de Ricardo.

 O Figuera estava perdido em campo e cedeu diversas chances para a Ponte Preta. Aos 18 minutos, Toni roubou bola da zaga alvinegra e cruzou de dentro da área para André, que, de cabeça, perdeu um gol feito. Outros erros em saídas de bola do Furacão geraram chutes à gol de Caio, Toni e João Paulo Silva, defendidos por Ricardo.

Aos 35 minutos, Guilherme Santos bateu falta de longe pelo lado direito do campo. A bola ganhou velocidade e foi em direção ao ângulo do gol da Ponte Preta. Um pouco atrapalhado, Édson Bastos, que já passou pelo Figueira, fez a defesa em dois tempos.

Sentindo a necessidade de uma mudança no time ainda no primeiro tempo, Argel Fucks tirou o volante Jackson e colocou Luiz Fernando em seu lugar. O Figueira ainda teve duas oportunidades de gol em cobranças de falta de Julio Cesar e Ronny, mas os dois chutes foram por cima do gol.


Segundo tempo:

Com Aloisio e Luiz Fernando em campo, o Figueira voltou mais ofensivo para a segunda etapa. Logo aos dois minutos, Aloisio teve sua oportunidade e chutou travado. Na sobra, a bola foi para Luiz Fernando que chutou para a bela defesa de Édson Bastos.

Aos cinco, Pablo cruzou e Aloisio cabeceou para nova defesa do goleiro da Ponte Preta. Um minuto depois, Ygor recebeu cruzamento e desviou de cabeça, exigindo boa defesa de Édson Bastos.

O Figueirense era só ataque e aos 13 minutos, Luiz Fernando chutou treavado para o gol. Cinco minutos depois, Pablo errou passe no meio de campo e armou contra-ataque para a Macaca. Sandro parou a jogada e foi expulso de campo.

Mesmo com dez jogadores em campo, o Furacão chegava ao ataque. Aos 23 minutos, Aloisio carregou a bola pelo meio e tinha Caio desmarcado à sua direita. O Boi Bandido preferiu o chute e acabou errando o alvo.

Aos 28 minutos, a Ponte Preta teve sua melhor oportunidade no jogo. Em chute de Caio, Ricardo estava fora do lance e João Paulo Goiano salvou sobre a linha. Dois minutos depois o Figueirense chegou novamente. Luiz Fernando chutou de fora da área e Aloisio não conseguiu desviar.

Nos últimos minutos da partida, o Figueirense ainda pressionou o adversário em seu campo, mas Aloisio perdeu a última chance do jogo, chutando para fora.


Escalações:

Figueirense: Figueirense: Ricardo; Pablo, João Paulo, Sandro e Guilherme Santos; Ygor, Túlio, Jackson (Luiz Fernando) e Ronny (Aloisio); Caio e Julio Cesar (Coutinho) – Argel Fucks.

Ponte Preta: Edson Bastos; Cicinho (Ricardinho), Tiago Alves, Ferron e João Paulo; Baraka, Renê Júnior (Somália), João Paulo Silva, Caio (Nikão); André e Toni – Gílson Kleina.

9 de jun de 2012

Zé Carlos faz três e Criciúma vence mais uma


Camisa 9 do Tigre chegou aos sete gols e é o artilheiro da Série B

Artilheiro está nas graças da torcida. Foto: Fernando Ribeiro

Após um início avassalador, o Tigre enfrentou o América-MG fora de casa e se deu mal. A torcida não deixou de acreditar, e quase 10 mil pessoas foram ao Heriberto Hülse para assistir Criciúma x Goiás pela quinta rodada da Série B.

Jogando em casa, o Tigre foi superior durante todo o tempo, e não permitiu que o Esmeraldino almejasse uma vitória. Douglas Leite e Diego Felipe foram destaques do Tricolor do sul do estado.

Mas o destaque absoluto, mais uma vez, foi Zé Carlos. O artilheiro fez três gols. O primeiro de cabeça, com oportunismo. Os outros dois com tranquilidade, tirando adversários das jogadas para chutar tranquilo para o gol.

Com mais três, Zé Carlos já soma sete gols marcados pela Série B, e é o artilheiro da competição. A vitória levou o Criciúma aos 12 pontos e a manutenção da terceira colocação, apenas um ponto atrás dos dois Américas, que lideram o campeonato.

Confira a classificação da Série B:


Primeiro tempo:

O Criciúma enfrentou dificuldades no início da partida. No primeiro minuto, o Goiás chegou ao ataque com Ricardo Goulart, que deu um chapéu e apareceu na pequena área. A zaga catarinense tirou para escanteio. No cruzamento, falha do goleiro Douglas Leite, mas o ataque goiano desperdiçou.

Os zagueiros do Criciúma erravam muito e davam oportunidades para o ataque do Esmeraldinho. Enquanto isso, o Tigre pouco conseguia chegar ao ataque.

Após algum tempo sem emoção, Zé Carlos começou a aparecer para o jogo e abriu o placar aos 24 minutos. Ao receber lançamento, o Zé do Gol cabeceou direto para o gol. A bola ainda bateu na trave, nas costas do goleiro Pedro Henrique e entrou, 1 a 0.

Aos 31, nova chance para o time da casa. Zé Carlos lançou Kleber que dentro da área, desperdiçou. Dois minutos depois, o placar foi ampliado. Zé Carlos driblou o goleiro e bateu com tranquilidade para fazer seu segundo, 2 a 0.


Segundo tempo:

O segundo tempo começou controlado pelo Criciúma, que, como tinha vantagem de dois gols no placar, não fazia muita força para partir ao ataque. Os primeiros minutos foram de boa marcação e controle do time catarinense.

Aos 16 minutos Zé Carlos apareceu mais uma vez. A bola sobrou para o artilheiro e ele não perdoou, driblou o zagueiro Rafael Toloi e bateu de chapa para ampliar. Hat-trick do Zé do Gol.

Aos 20, a primeira chegada perigosa do time goiano. Em cruzamento, Rafael Toloi finalizou de cabeça e a bola foi para fora, muito perto do gol defendido por Douglas Leite.

Seis minutos mais tarde, bela defesa do goleiro do Goiás. Marlon cobrou falta com endereço. A bola ia no ângulo, mas Pedro Henrique defendeu. Aos 28 quem chegou foi o Goiás. Douglas Leite fez bela defesa e a bola sobrou para Ramon, que perdeu um gol feito.

Depois disso, a torcida do Criciúma já gritava “olé” nas arquibancadas do Heriberto Hülse. O time tocava bola sem partir para o ataque e garantiu o placar até o fim. 3 a 0 e G-4 garantido.


Escalações:

Criciúma: Douglas Leite; Ezequiel, Matheus, Nirley e Marlon; Diego Oliveira, Fransérgio, Giovanni Augusto (Diego Felipe) e Kleber; Lucca (Gilmar) e Zé Carlos (Douglas) – Paulo Comelli.

Goiás: Pedro Henrique; Vítor (Felipe Amorim), Ernando, Rafael Toloi e Egídio (Tiago Humberto); Amaral, Valmir Lucas, Thiago Mendes, Ramon e Ricardo Goulart; Iarley (Júnior Viçosa) – Enderson Moreira.


Gols: Criciúma: Zé Carlos (24/1º, 33/1º e 16/2º).

8 de jun de 2012

De virada Avaí vence Ipatinga em Minas Gerais


Gols avaianos foram marcados por Mika e Julinho

Mika fez o primeiro gol do Avaí no jogo. Foto: Kadu Reis

O Avaí foi até Minas Gerais enfrentar o Ipatinga precisando de uma vitória após duas derrotas consecutivas e conseguiu. Apesar de sair perdendo, o Leão empatou ainda na primeira etapa e virou no segundo tempo, garantindo os três pontos na bagagem de volta para Florianópolis.

O time mineiro saiu na frente com gol de Wellington Bruno aos 23 minutos do primeiro tempo. Sem desespero, o Avaí empatou quinze minutos depois com gol de Mika, que teve ajuda do goleiro Gilvan, que falhou no lance.

Na segunda etapa, o Leão voltou querendo o ataque e virou o jogo aos 15 minutos. Julinho, de volta ao Avaí, recebeu cruzamento de Patric, dominou e chutou forte para fazer o segundo do time azurra.

Com o resultado, o time catarinense fica provisoriamente na oitava colocação na Série B. O próximo desafio avaiano é contra o América-MG na Ressacada na próxima sexta-feira, 15/06, às 21h00.

Confira a tabela da Série B:


Primeiro tempo:

Quem começou no ataque no Estádio Municipal João Lamego foi o Avaí. Logo no primeiro minuto de jogo, Cleber Santana carregou a bola e chutou fraco, facilitando a defesa de Gilvan. Cinco minutos depois, Julinho chutou forte do meio da rua, obrigando o goleiro do Ipatinga a fazer boa defesa.

O Ipatinga passou a controlar o jogo e perdeu a chance de fazer seu primeiro gol com Chiquinho aos nove minutos. O meia recebeu pela esquerda da área e chutou cruzado. A bola passou na frente do gol do Avaí e saiu pela linha de fundo.

Aos 17 nova chance do time da casa. Márcio Diogo driblou Pirão e chutou na rede pelo lado de fora. O gol era questão de tempo para o Ipatinga, e saiu aos 23 minutos. Márcio Diogo tocou para Wellington Bruno que abriu o placar.

Sair atrás no placar não afetou o time avaiano que cresceu para cima do adversário. Aos 27 minutos, Nunes recebeu dentro da pequena área e chutou para fora. Dois minutos depois, Patric atrasou para o chute de Cleber Santana. A bola passou ao lado do gol.

Aos 39 o Avaí empatou a partida no Ipatingão. Jaílton fez a jogada e tocou para Mika que chutou. Gilvan falhou na defesa e cedeu o gol para o Leão. O time catarinense ainda teve uma última chance na primeira etapa,l desperdiçada por Nunes, aos 42 minutos.


Segundo tempo:

O Avaí voltou para o segundo tempo querendo a virada no placar. Logo aos quatro minutos, Pirão teve a chance de fazer o segundo gol azurra, mas isolou a bola. Aos 11, Mika chutou de longe e a bola passou ao lado da trave.

Aos 15 minutos, de tanto insistir, o Avaí fez o seu segundo gol. Jogando novamente com a camisa azurra, Julinho recebeu cruzamento de Patric, dominou e chutou forte para virar o jogo e colocar o Leão na frente do placar, 2 a 1.

Com o gol, o Avaí começou a administrar a partida. A primeira jogada de perigo após a virada aconteceu aos 34 minutos. Patric cruzou para Felipe Alves, que cabeceou para boa defesa do goleiro Gilvan.

Aos 35, Djavan chutou forte de fora dá área, mas Diego defendeu. Quatro minutos mais tarde, nova chegada do time mineiro. Azevedo cabeceou e a bola passou muito perto do gol avaiano.

Aos 47 minutos, Diego impediu o empate do Ipatinga na última jogada de perigo do jogo. Azevedo cabeceou e Diego espalmou para o alto e depois afastou a bola com um soco.


Escalações:

Ipatinga: Gilvan; Pedrão, Azevedo e Everton; Flávio, Chiquinho, L. Brasília, W.Bruno (João Neto) e João Vitor (Djavan); Tiago Pereira e Márcio Diogo (Vinícius) – Mazola Júnior.

Avaí: Diego; Patric, Cássio, Leandro Silva e Pirão; Bruno, Mika, Cleber Santana, Jaílton (Diogo Orlando) e Julinho (Felipe Alves); Nunes (Aelson) – Hemerson Maria.


Gols: Ipatinga: Wellington Bruno (23/1º);
          Avaí: Mika (39/1º), Julinho (15/2º).

7 de jun de 2012

Com dez em campo, Figueira empata com Corinthians e segue invicto

Mesmo não fazendo uma boa partida, Alvinegro trás um empate do Pacaembu

Capitão, Túlio foi um dos melhores em campo. Foto: Eduardo Viana

Após dez dias sem jogar e fazer intertemporada em Atibaia, o Figueirense foi até o Pacaembu enfrentar o Corinthians, que mesmo jogando a Libertadores, entrou com time completo.

O primeiro tempo foi do Corinthians, que, de tanto insistir, fez o primeiro gol aos 37 minutos com Danilo em jogada de cruzamento feito por Alessandro. O Figueira pressionava na marcação, mas pouco chegava ao ataque.

No segunda tempo, o Alvinegro catarinense foi ataque diante do time corintiano em pleno Pacaembu. Jogando de igual para igual, o Figueira teve o zagueiro estreante Anderson Conceição expulso, o que deixou tudo mais difícil.

Mesmo com condições desfavoráveis, o Figueirense chegou ao empate aos 33 minutos da etapa final. Caio brilhou mais uma vez e apareceu no meio da área para completar cruzamento de Guilherme Santos.

O Talismã chegou ao seu terceiro gol em três jogos pelo Figueira e mostrou que, mesmo quando não joga bem, pode fazer a diferença.

Com o resultado, o Alvinegro ficou na sexta colocação no Campeonato Brasileiro, com cinco pontos. A próxima partida do Figueirense é contra a Ponte Preta no estádio Orlando Scarpelli, domingo, 10/06, às 18h30.

Confira a classificação da Série A:


Primeiro tempo:

A primeira tentativa da partida foi do Figueirense, com chute de fora da área de Julio Cesar logo aos dois minutos de jogo. A partir daí, o jogo passou a ser dominado pelo Corinthians.

Aos sete minutos, Paulinho cruzou para Emerson que chutou de primeira para fora. Cinco minutos mais tarde, a estreia de Anderson Conceição começou a ficar complicada. O jogador tomou cartão amarelo por carrinho sobre o meia Alex.

Na sequencia do lance do cartão do zagueiro estreante, a bola foi alçada na área e Canuto tirou de cabeça, quase fazendo gol contra. Aos 23 minutos, Jorge Henrique chutou de fora da área, mas a bola foi para fora da meta.

Quatro minutos depois, Alex deixou Rômulo cara a cara com o goleiro do Figueirense, mas o jogador estava em posição de impedimento, assinalada pelo árbitro assistente. Aos 32, Guilherme Santos perdeu a bola na defesa para Alex, que bateu para o gol, sem sucesso.

O único gol da primeira etapa saiu aos 37 minutos. Alessandro cruzou pelo lado direito de ataque e Danilo cabeceou de peixinho para anotar o primeiro. A bola foi no contrapé do goleiro Ricardo, que nada pôde fazer, 1 a 0.

Aos 45 minutos, o Figueirense teve sua chance mais clara de gol no primeiro tempo. Pablo cruzou e Julio Cesar, livre, cabeceou a bola que passou muito perto da trave. O atacante do Figueira, porém, estava impedido.


Segundo tempo:

O Figueirense já começou o segundo tempo chutando para o gol. No primeiro minuto, Julio Cesar chutou de longe e Cássio fez a defesa. Oito minutos depois, Julio Cesar recebeu de Pablo, girou e chutou para outra defesa do goleiro corintiano.

Aos 17 minutos, o Figueirense perdeu Anderson Conceição, expulso por receber o segundo cartão amarelo em sua estreia. Com um a mais, o Corinthians partiu para o ataque. Danilo chutou forte e Ricardo cedeu rebote para Alex, que desperdiçou.

Aos 23, Alex cobrou falta e levou perigo à meta do time catarinense. Dez minutos mais tarde, a estrela de Caio brilhou pela terceira vez no campeonato. Após cruzamento rasteiro de Guilherme Santos, o Talismã apareceu no meio da área e empatou o jogo.

A partir daí, o Timão partiu para o ataque. Aos 39 minutos, Emerson ficou com sobra de bola dentro da área, mas chutou por cima, longe do gol. A última chance corintiana foi com Elton, aos 46. O atacante chutou no meio do gol. Defesa de Ricardo que garantiu o empate, 1 a 1.


Escalações:

Corinthians: Cássio; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Ramon (Elton); Paulinho, Ralf, Danilo e Alex; Emerson e Jorge Henrique (Liedson).

Figueirense: Ricardo; Pablo, Canuto, Anderson Conceição e Guilherme Santos; Ygor, Túlio, Jackson e Roni (Aloisio); Caio (Sandro) e Júlio César (Luiz Fernando).


Gols: Corinthians: Danilo (37/1º);
           Figueirense: Caio (33/2º).

6 de jun de 2012

Um pedido de desculpas com devidas explicações


Olá, leitores de Santa Catarina FC. Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a todos que assistem os vídeos no canal do Youtube, interagem via Facebook e Twitter e visitam regularmente o blog.

Como alguns perceberam e talvez tenham sentido falta, o número de matérias publicadas no blog caiu bastante. Não houve texto sobre a derrota do Criciúma diante do América em Belo Horizonte pelo duro placar de 3 a 0.

Também não aconteceu o acompanhamento ao vivo da vitória que trouxe o Joinville ao G-4 da Série B nesta noite de terça-feira diante do ASA, nem a edição nº010 do programa SCFC em Debate.

O blog Santa Catarina FC carrega consigo algo muito emblemático, a proposta de ser “o blog do futebol catarinense!”. A ideia realmente ganha força, com o notável crescimento de público que acessa SCFC mesmo em dias que nenhuma matéria é publicada.

Gostaria de pedir desculpas a todos pela diminuição no número de notícias publicadas cotidianamente. Eu, Kadu Reis, escrevo este blog sozinho, com raríssimas exceções de ajudas externas. Já no debate, conto com a ajuda de colegas.

Estou na quarta fase (ufa, metade!) de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina, e quando chega o final do semestre a situação começa a se complicar. São muitos trabalhos de diversas disciplinas ao mesmo tempo, que reduzem meu tempo disponível para me dedicar ao blog.

O trabalho em Santa Catarina FC é gratificante e feito por pura paixão. Já são seis meses, mais de 11 mil visualizações no blog, e cinco mil no Youtube, a conquista de credenciamento de Cronista Esportivo e de público cativo. A pena é que não rende dinheiro.

Além de estudar, trabalho dentro da própria Universidade. Tempo excasso! Ainda assim, garanto não deixar o blog de lado.

Seguirei acompanhando todas as partidas possíveis (espero que todas sejam possíveis), para continuar lhes fornecendo esta forma que considero uma alternativa aos meios comuns para obtenção de informações.

Peço que continuem conosco, divulguem Santa Catarina FC e vamos pra frente, juntos com o futebol do nosso estado.

Kadu Reis

5 de jun de 2012

JEC vence terceira consecutiva e entra no G-4


Tricolor superou o ASA na Arena Joinville

Lima lutou mas passou em branco. Foto: Cleber Gomes

Jogando em casa, o Tricolor teve dificuldade para superar a Associação Sportiva Arapiraquense, que até então tinha perdido apenas uma partida na Série B e tinha os mesmos sete pontos da equipe joinvillense.

O gol do Joinville saiu apenas no segundo tempo, quando, jogando com dois atacantes, a equipe se fez mais presente no ataque e deu mais movimentação ao jogo do que na primeira etapa. Quem marcou o tento da vitória tricolor foi Tiago Real, em chute desviado em Alex.

A próxima partida do JEC acontece apenas no sábado, dia 16/06 contra o Ceará na Arena Joinville. São 11 dias sem partidas e viagens para que Leandro Campos possa fazer os ajustes que desejar e fortalecer o Tricolor na até aqui, muito boa campanha na segunda divisão.

O resultado levou o Joinville ao momentâneo terceiro lugar na competição. O time ainda pode perder algumas posições devido aos oito jogos que completam a rodada na sexta-feira e no sábado.

Confira a tabela de classificação da Série B:


Primeiro tempo:

Poucas chances foram criadas pelas duas equipes na primeira etapa. A primeira defesa difícil da partida foi feita pelo goleiro do ASA aos 13 minutos. Em cruzamento de Eduardo, Tiago Real chutou de primeira, forçando Gilson a praticar uma difícil defesa.

Sentindo a necessidade de atacar mais e com melhor eficiência, Leandro Campos colocou em campo o atacante Alex para fazer companhia a Lima na linha de frente tricolor. Saiu o volante Carlos Alberto, que não gostou nada da substituição.

A primeira chegada do time alagoano aconteceu apenas aos 44 minutos com um chute de fora da área do meio-campo Danilo Cruz. A bola passou à direita do gol defendido por Ivan.


Segundo tempo:

Aos três minutos a Agremiação Sportiva Arapiraquense chegou ao ataque após passe do meia Valdívia (não o famoso, mas sim Caique Ferreira, de 19 anos) para o artilheiro Lúcio Maranhão chutar de esquerda para boa defesa de Ivan.

Seis minutos mais tarde, Lima chutou de longe, à direita do gol. Aos 10, o lateral-direito Eduardo teria sido derrubado dentro da área, mas o árbitro não assinalou o pênalti, alegando que o lance teria ocorrido fora da área.

No lance, Pedro Paulo alçou na área e Alex cabeceou para Gilson segurar firme. Aos 19 minutos, Lima chegou com a bola dentro da área mas chutou em cima do goleiro alagoano.

Aos 25, um lance capital para o resultado final da partida. O ASA ficou com um jogador a menos após Fabiano dar uma cotovelada em Tiago Real, com a bola parada.

Quatro minutos mais tarde, o Joinville fez o único gol da partida. Tiago Real chutou de longe e contou com desvio em Alex para abrir o placar na Arena, 1 a 0. A equipe alagoana reclamou em vão de um toque na mão de Alex na jogada. O gol foi validado e o JEC venceu a terceira consecutiva.


Escalações:

Joinville: Ivan; Eduardo, Pedro Paulo, Maurício e Romano; Leandro Carvalho, Glaydson, Carlos Alberto (Alex), Tiago Real e Marcinho (Jocinei); Lima (Jean Carlos) – Leandro Campos.

ASA: Gilson; Gabriel, Fabiano, Gaúcho e Chiquinho Baiano; Jorginho, Audálio, Cal, Danilo Cruz (Elvis) e Valdívia (Roberto Jacaré); Lúcio Maranhão (Alexssandro) – Heriberto da Cunha.


Gols: Joinville: Tiago Real (29/2º).

2 de jun de 2012

JEC vence o Avaí fora de casa por 2 a 1

Glaydson e Lima fizeram os gols do tricolor em Florianópolis

Nadine Schram errou no lance do gol avaiano. Foto: Kadu Reis
O Joinville foi para a Ressacada acreditando que um empate não seria um resultado ruim. Com gols de Glaydson e Lima, o Tricolor conseguiu muito mais do que isso, vencendo sua primeira partida fora de casa na Série B 2012 e chegando á segunda vitória consecutiva.

Quem saiu na frente no placar foi o Avaí. Felipe Alves recebeu belo lançamento de Diego Palhinha, tentou duas vezes e converteu o primeiro gol da partida. O gol, porém, foi ilegal, pois o jogador Felipe Alves estava em posição de impedimento, não assinalada pela assistente Nadine Schram Câmara Bastos.

Ainda no primeiro tempo, o Joinville mostrou sua força e chegou ao empate. Glaydson chutou e contou com desvio em Carlos Alberto para igualar o placar na Ressacada.

Ao contrário da primeira etapa, que foi equilibrada, o segundo tempo teve um time dominando: o JEC. Nervoso, o time avaiano se deixou dominar dentro de casa e levou o castigo de pouco atacar.

O Coelho chegou ao segundo gol com seu principal artilheiro. Após cruzamento na área, Lima recebeu no meio da confusão e decretou a vitória do Tricolor, que volta com auto estima elevada para Joinville.

O resultado trouxe o JEC para a quarta posição no Brasileirão da Série B, dentro do grupo dos que sobem de divisão. Já o Avaí, com sua segunda derrota consecutiva, caiu para a décima segunda posição na tabela de classificação.

Confira a classificação atualizada do Brasileirão da Série B:


Primeiro tempo:

Avaí e Joinville começaram o jogo se respeitando na Ressacada. Com um início tímido, o JEC chegava nos cruzamentos, enquanto o Avaí, com Cleber Santana, Felipe Alves e Diego Palhinha tentava colocar bolas no ataque para Nunes, sem sucesso.

Aos 15 minutos, na primeira chegada mais incisiva na partida, Felipe Alves recebeu bola de Diego Palhinha, tentou duas vezes e conseguiu vencer o goleiro Ivan, 1 a 0 para o Avaí. Felipe Alves, porém, estava impedido no lance, não marcado pela assistente Nadine Schram Câmara Bastos.

Após o gol o Leão se retraiu na defesa e quem passou a controlar o jogo foi o Joinville. Aos 23 minutos, Tiago Real entrou pela direita da área avaiana e chutou rasteiro na trave. Dois minutos mais tarde, nova chegada perigosa de Tiago Real, desta vez defendida pelo zagueiro Leandro Silva sobre a linha.

Recuperado, o Avaí voltou para o jogo. Aos 31 minutos, Diego Palhinha tentou de voleio dentro da área tricolor, mas chutou por cima do gol. Cinco minutos mais tarde, Leandro Silva pegou a bola no ar e chutou forte em direção ao ângulo do gol do Joinville, mas Ivan fez uma belíssima defesa.

No último minuto do primeiro tempo, o JEC recebeu um presente pela dedicação no primeiro tempo. Glaydson chutou, a bola desviou em Carlos Alberto e enganou o goleiro Diego. Empate do Joinville: 1 a 1.


Segundo tempo:

O gol no final da primeira etapa afetou a volta do Avaí para jogar os últimos 45 minutos de jogo. Dentro de casa, o Leão não conseguiu mostrar força ofensiva. Logo aos dois minutos Carlos Alberto chegou pela esquerda e chutou para fora.

Mesmo querendo a vitória, os dois times pouco chegavam ao ataque. Com mudanças nas duas equipes, a situação começou a mudar. Aos 18 minutos, Lima recebeu na frente e atrasou para Romano que chegou chutando para fora.

Quatro minutos mais tarde, o JEC chegou à virada. Em bola cruzada na área, a bola sobrou para Lima no meio da confusão. O matador tricolor não perdoou e fez o segundo do time do Norte do Estado, 2 a 1.

O time avaiano ficou nervoso após ficar atrás no placar.

39’ Felipe Alves recebeu de Diogo Orlando e chutou pressionado
45’ Aelson chutou forte e Ivan espalmou
47’ Mika cobrou falta por cima

Escalações:

Avaí: Diego; Patric (Nenê Bonilha), Cássio, Leandro Silva e Pirão (Aelson); Mika, Diogo Orlando, Cléber Santana e Diego Palhinha (Laércio Carreirinha); Felipe Alves e Nunes – Hemerson Maria.

Joinville: Ivan; Eduardo, Pedro Paulo, Maurício e C.Alberto (Romano); Leandro Carvalho, Glaydson, Ricardinho, Ramon (Marcinho) e Tiago Real; Lima – Leandro Campos.


Gols: Avaí: Felipe Alves (15/1º)
          Joinville: Glaydson (45/1º), Lima (22/2º)