30 de mai de 2012

Criciúma vence terceira consecutiva e segue 100%

Em noite de gala de Zé Carlos, Tigre passa pelo Vitória por 2 a 1

A estrela de Zé Carlos brilhou outra vez. Foto: Divulgação CEC

Jogando no Heriberto Hülse com mais de sete mil pessoas, o Criciúma conquistou sua terceira vitória em três jogos. Lucca e Zé Carlos mais uma vez foram destaques. O meia era o artilheiro da Série B e foi ultrapassado pelo atacante, que fez dois e agora soma quatro gols na competição.

O Tigre dominou amplamente a primeira etapa, e chegou ao primeiro gol com uma pintura de Zé Carlos. O artilheiro da Série B dominou a bola no peito e chutou forte para abrir o placar.

Na segunda etapa, o Vitória deixou o jogo mais equilibrado, mas Zé Carlos guardou mais um golaço. O atacante girou e chutou rasteiro de fora da área, ampliando a vantagem do time catarinense.

Os baianos colocaram o experiente Geovanni em campo no final do jogo, e após chute dele gerar escanteio, Rodrigo diminui de cabeça. Placar final: 2 a 1.

Com a vitória, o Tigre chegou aos nove pontos, com dez gols pró, cinco contra e um saldo de cinco. O time está na segunda posição, atrás apenas do América-MG, que tem melhor saldo de gols.

No próximo sábado, 02/06, às 16h20, o Criciúma enfrenta o Coelho mineiro no duelo dos líderes no Independência, em Belo Horizonte.


Primeiro tempo:

O Tigre começou o jogo embalado pelas duas vitórias e também pela torcida nas arquibancadas do estádio Heriberto Hülse. A primeira chegada do time tricolor do sul catarinense foi logo no primeiro minuto de jogo, com chute forte de Zé Carlos de fora da área. A bola passou por cima do gol.

A segunda chance do Criciúma veio com uma bela jogada de Lucca. Pela esquerda, o habilidoso meia tricolor driblou e trouxe a bola para o pé direito, chutando perto do gol defendido por Douglas.

Após alguns minutos sem jogadas mais agudas, quem continuou no ataque foi o Tigre. Zé Carlos aproveitou cruzamento, mas cabeceou para fora. Aos 20 minutos, nova tentativa de Lucca. Em chute colocado, o garoto acabou dando chances para o goleiro adversário.

Aos 28 minutos, o domínio tricolor se transformou em gol. Zé Carlos matou no peito dentro da área e chutou forte para abrir o placar fazendo um golaço. O gol e a pressão do time da casa fizeram o Vitória acordar.

Dominando o final do primeiro tempo, o Rubro-Negro pressionou e teve sua chance mais clara em cobrança de falta de Neto Baiano, que passou por cima do gol. O primeiro tempo terminou com o 1 a 0 favorável ao Criciúma no placar.


Segundo tempo:

O Criciúma voltou ao segundo tempo tentando não dar chances de reação ao Vitória. Mesmo vencendo, Paulo Comelli fez duas alterações: saíram Gilmar e Elias, entraram os xarás Diego Felipe e Diego Oliveira. Logo aos três minutos, Fransérgio chutou forte, mas o goleiro Douglas defendeu.

Seis minutos mais tarde o time baiano chegou ao ataque e foi a vez de Douglas Leite trabalhar. Neto Baiano, maior goleador brasileiro em 2012, cabeceou forçando o goleiro tricolor a fazer boa defesa.

Aos 12 minutos, o Tigre ampliou o placar. Zé Carlos pegou a bola fora da área, girou e chutou entre dois zagueiros. A bola rasteira foi morrer no canto esquerdo do goleiro Douglas. Criciúma, 2 a 0.

Zé Carlos fazia atuação de gala, e chegou perto de fazer seu terceiro gol aos 20 e 22 minutos. No primeiro lance, o artilheiro cabeceou para a defesa de Douglas. Na segunda tentativa, cobrou falta no travessão.

O Vitória não se entregou e aos 25 minutos Neto Baiano tentou de bicicleta, acertando o travessão. Sete minutos mais tarde, Douglas Leite salvou o Tigre fazendo difícil defesa após cabeceio de Rildo.

O Tigre substituiu Zé Carlos antes que o artilheiro levasse o terceiro amarelo e não pudesse jogar a próxima partida, contra o América-MG. O lateral-esquerdo Marlon, também do Criciúma foi expulso.

Tentando o ataque, o Rubro-Negro colocou o experiente Geovanni em campo. Aos 43 minutos, ele chutou forte de fora da área e Douglas Leite espalmou a bola que iria no ângulo. Na cobrança do escanteio gerado no lance, Rodrigo cabeceou e diminui para o Vitória, 2 a 1.

O time baiano ainda pressionou no final da partida, mas o Criciúma segurou o placar e manteve os 100% de aproveitamento na Série B 2012.


Escalações:

Criciúma: Douglas Leite; Ezequiel, Matheus, Nirley e Marlon; Elias (Diego Felipe), Fransérgio e Kleber; Lucca, Gilmar (Diego Oliveira) e Zé Carlos (Ozéia) – Paulo Comelli.

Vitória: Douglas; Gabriel Paulista, Rodrigo, Victor Ramos e Wellington Saci; Rodrigo Mancha, Ananias (Geovanni), Eduardo Ramos (Rildo) e Tartá; Marquinhos (Dinei) e Neto Baiano – Paulo César Carpegiani.


Gols: Criciúma: Zé Carlos (28/1º, 12/2º);
          Vitória: Rodrigo (43/2º).

29 de mai de 2012

JEC faz 2 a 0 no Guarani e vence a primeira na Série B


Gols de Alex e Maurício embalaram a festa da torcida tricolor na Arena

Jogadores comemoram gol de Maurício. Foto: Zilmo Nunes

Após perder na estreia em casa para o Atlético-PR e roubar um ponto fora contra o ABC em Natal, chegou a hora da primeira vitória do Joinville na Série B. A conquista veio na partida desta noite, contra o Guarani na Arena, por 2 a 0.

O primeiro tempo do jogo entre Joinville e Guarani não foi muito empolgante. O time de fora se propunha a defender, enquanto o Tricolor não conseguia atacar com eficiência.

Na segunda etapa a história foi diferente. Aos cinco minutos, Alex abriu o placar para o JEC e aos 34, Maurício deu números finais à partida, para a alegria dos quase dez mil torcedores que foram ao estádio.

A partida colocou o Joinville momentaneamente na sexta posição e serviu para mostrar que o time de Leandro Campos pode lutar com ótimas chances pela permanência e até tentar beliscar um possível acesso.

O próximo teste do tricolor é contra o Avaí no próximo sábado, 02/06, às 16h20, na Ressacada. Os dois times catarinenses tem quatro pontos na segunda divisão do Campeonato Brasileiro.

Confira a classificação atualizada (inclusive minuto a minuto) da Série B:


Primeiro tempo:

O primeiro ataque na Arena Joinville foi do time da casa. O lateral-direito Eduardo cruzou para a área, mas antes da chegada de Lima, o goleiro bugrino Juliano saiu e fez a defesa.

Aos 11 minutos, Juliano evitou outra chegada. Desta vez, a zaga do time paulista afastou mal de cabeça e quase fez um gol contra, mas o goleiro espalmou.

O JEC seguiu em cima do time visitante. Aos 19 minutos, Lima driblou e chutou cruzado, mas a bola parou nas mãos do goleiro adversário. Dez minutos mais tarde, foi a vez do Guarani atacar. Clebinho driblou a zaga tricolor e chutou para a defesa de Ivan.

Na última chance do primeiro tempo, Eduardo pegou rebote da zaga paulista e chutou para a defesa de Juliano. Na sobra, Alex tentou de bicicleta e acertou a trave. O primeiro tempo terminou como começou: 0 a 0.


Segundo tempo:

Os dois times voltaram iguais nas escalações e no volume de jogo para o segundo tempo. Logo aos cinco minutos, Alex recebeu passe dentro da área e chutou no canro para abrir o placar na Arena: JEC 1 a 0.

Após sofrer o gol, o Guarani passou a atacar. Aos sete minutos, Clebinho chutou de fora da área para a defesa de Ivan. Oito minutos mais tarde, lance parecido. Desta vez foi Medina quem chutou de longe.

Aos 21 minutos, Tiago Real invadiu a área e chutou para fora. Na sequencia, Aldair partiu pela esquerda e chutou próximo ao gol de Juliano. Treze minutos mais tarde veio o gol que decretou a vitória tricolor.

Após troca de passes, cruzamento do JEC na área encontrou o zagueiro Maurício, que cabeceou e aumentou a vantagem do Coelho. O Joinville ainda teve mais uma boa oportunidade. Aldair, de bicicleta, mandou a bola para fora.

O Guarani ainda tentava reagir, mas não houve tempo. O apito final do árbitro confirmou a primeira vitória do Joinville na Série B 2012, 2 a 0.


Escalações:

Joinville: Ivan; Eduardo, Pedro Paulo, Maurício e Romano (Carlos Alberto); Leandro Carvalho, Glaydson, Ricardinho e Tiago Real (Ramon); Lima e Alex (Aldair) – Leandro Campos.

Guarani: Juliano; Bruno Peres, Rodrigo Arroz, André Leone e Bruno Recife; Jackson, Fábio Bahia, Medina (Emílio) e Danilo; Ronaldo e Clebinho (Pardalzinho) – Vadão.


Gols: Joinville: Alex (5/2º), Maurício (34/2º).

Avaí perde a primeira na Série B e na era Hemerson Maria

Leão saiu derrotado do confronto contra o América-RN fora de casa

Hemerson Maria sofreu sua primeira derrota no Leão. Foto: Kadu Reis

Hemerson Maria entrou para o jogo contra o América em Goianinha, no Rio Grande do Norte, com três volantes, e tentando se defender, acabou derrotado. O Avaí construiu poucas chances de ataque durante a partida e foi pouco efetivo no ataque.

O Leão sofreu com as subidas do lateral-direito Norberto, do América, durante toda a partida. Pirão, na esquerda, e Marcinho Guerreiro, volante que voltou de lesão, não fizeram boas partidas e deram espaço para o Dragão potiguar atacar.

O gol americano saiu apenas aos 34 minutos do segundo tempo, com Pingo, que pegou sobra de chute sozinho dentro da área e apenas tocou para o gol vazio. Após a desvantagem no placar, o Avaí desmanchou a tática de três volantes, mas já não havia tempo e a derrota se tornou inevitável.

Com a derrota, o Leão permaneceu com quatro pontos na Série B, somando três gols pró, três contra e saldo zerado. A próxima partida do Avaí é contra o Joinville, na Ressacada, no próximo sábado, 02/06, às 16h20.

Confira a classificação atualizada (inclusive minuto a minuto) da Série B:


Primeiro tempo:

O Avaí começou o jogo em Goianinha levando susto. Na primeira jogada de ataque da partida, com apenas um minuto de jogo, Diego viu a bola bater em sua trave e sair. A resposta avaiana veio apenas aos 12 minutos. Felipe Alves avançou sozinho e chutou à esquerda do gol.

O América chegou perto de seu primeiro gol. Isac cabeceou após cruzamento e Leandro Silva salvou o Avaí em cima da linha. As jogadas aéreas eram as mais exploradas pelo time potiguar, enquanto o Leão tinha dificuldades em se defender.

Aos 29 minutos o Avaí chegou a abrir o placar com Nunes, que recebeu passe de cabeça de Diogo Orlando. O camisa 9 avaiano estava impedido e o árbitro anulou o gol.

O Leão chegou novamente três minutos mais tarde. Patric chutou forte de fora da área, mas o goleiro Dida defendeu. No decorrer do primeiro tempo, o jogo manteve a característica de força com pouca qualidade técnica.


Segundo tempo:

O América voltou melhor no segundo tempo e já aos dois minutos levou perigo ao gol avaiano. Leandro Silva salvou o que seria o primeiro gol do Dragão após a bola ter passado pelo goleiro Diego.

A primeira chegada do Leão no segundo tempo foi aos 14 minutos. Cleber Santana chutou de longe e contado com desvio na zaga adversária, quase abriu o placar. Tentando dar maior vida ao ataque do Avaí, Hemerson Maria trocou Felipe Alvez por Laércio Carreirinha.

Aos 27 minutos, Pingo trouxe o América para o ataque pela esquerda, mas parou no goleiro Diego. Sete minutos mais tarde, o mesmo Pingo não perdoou. Livre na área, o jogador pegou a sobra de um chute e tocou para o gol vazio, fazendo 1 a 0 para o time potiguar.

Após sofrer o gol, Hemerson Maria mudou o esquema de três zagueiros, tirando Marcinho Guerreiro e colocando o atacante Ronaldo Capixaba em seu lugar. Mesmo com o Avaí tentando os ataques, quem teve nova chance foi o América. Aos 42 minutos, Pingo teve a chance de aumentar a vantagem, mas chutou a bola para fora.


Escalações:

América-RN: Dida; Norberto, Cleber, Edson Rocha (Gustavo) e Wanderson (Pingo); Márcio Passos, Ricardo Baiano, Fabinho e Júnior Xuxa (Rafael Augusto); Lúcio e Isac – Roberto Fernandes.

Avaí: Diego; Patric, Renato Santos (Cássio), Leandro Silva e Pirão; Marcinho Guerreiro (Ronaldo Capixaba), Mika, Cleber Santana e Diogo Orlando; Felipe Alves (Laércio) e Nunes – Hemerson Maria.


Gols: América-RN: Pingo (34/2º).

27 de mai de 2012

Caio faz mais um e Figueira empata com o Flu no Engenhão

Alvinegro joga no contra-ataque e consegue um ponto fora de casa

Julio Cesar jogou no sacrifício e teve atuação discreta. Foto: Dhavid Normando

O Figueirense se propôs a jogar no contra-ataque e ficou atrás no placar duas vezes contra o Fluminense. Mostrando poder de reação, o time catarinense foi buscar o empate por 2 a 2 e fez seu quarto ponto no Brasileirão da Série A.

Marcos Júnior abriu o placar para o Flu e fez também o único gol do primeiro tempo. Na segunda etapa, o time mais ofensivo do Figueira com Fernandes no lugar de Toró conseguiu o empate com o segundo gol do Talismã Caio na competição.

A empolgação do empate durou pouco. Wagner botou o Fluminense na frente do placar mais uma vez aos 20 minutos. Aos 29, Pablo chutou de fora da área e contando com o desvio no adversário empatou a partida e colocou números finais no duelo: 2 a 2.

Com quatro pontos na competição, o Figueirense é agora o quinto colocado, com quatro gols pró, três contra e um de saldo. O próximo rival do Alvinegro será o Corinthians no Pacembú às 20h30 de quinta-feira, 07/06. Antes disso, o Figueira não volta para Florianópolis e faz inter-temporada em Atibaia.


Primeiro tempo:

O Figueirense foi ao Rio de Janeiro para enfrentar o Fluminense com a proposta de jogar no contra-ataque. Jogando com essa estratégia, o time catarinense acabou deixando os cariocas dominarem a partida e as ações de ataque.

Aos oito minutos, o lateral-esquerdo Carlinhos cruzou e Samuel chutou obrigando Ricardo a fazer sua primeira difícil defesa no jogo. Quatro minutos mais tarde, mais uma chegada do Tricolor. Marcos Júnior ficou cara a cara com o gol após receber passe de Wagner, mas chutou por cima do gol.

O Figueira deixava o time carioca chegar. Aos 13 minutos, Marcos Júnior apareceu no meio da zaga e passou pelo goleiro alvinegro. No toque para o gol, Ricardo correu e alcançou a bola pouco antes da linha.

A pressão do Fluminense resultou em gol aos 17 minutos. A jogada de contra-ataque foi armada por Wagner, que tocou para Wallace chutar na zaga. No rebote, Marcos Júnior não perdoou e abriu o placar para o Tricolor, 1 a 0.

O gol fez o Flu diminuir a velocidade e o jogo ficar mais parado no meio campo. Aos 39 minutos, Roni armou jogada individual e chutou rasteiro para a defesa de Diego Cavalieri.

Um minuto mais tarde, Roni avançava pela esquerda, mas foi derrubado antes de entrar na área. Wallace foi quem cometeu a falta e recebeu o segundo cartão amarelo, saindo do jogo mais cedo.


Segundo tempo:


O Figueira voltou do intervalo mais ofensivo. Argel tirou Toró do time e colocou Fernandes em seu lugar. A primeira oportunidade da segunda etapa foi do Fluminense. Aos cinco minutos, Fábio Braga cabeceou, mas Ricardo fez a defesa com as pontas dos dedos.

Na primeira chance do Figueira no segundo tempo, aconteceu o gol do empate, Túlio chutou na zaga adversária e ficou com o rebote. O volante tocou para Caio que chutou rasteiro e fez seu segundo gol no Brasileirão.

Aos 14 minutos, o Alvinegro chegou perto da virada com chute de Pablo de fora da área. Quem não faz toma, e aos 20 o Flu voltou a ter a vantagem no placar. Marcos Júnior passou para Wagner, que ficou sem marcação e tocou na saída de Ricardo. 2 a 1 para o Fluminense.

Nove minutos mais tarde Pablo fez o gol que desperdiçou aos 14. O chute de fora da área do lateral-esquerdo desviou em Wagner e entrou, empatando o jogo mais uma vez, 2 a 2.

O Figueira tinha um jogador a mais e corria atrás da vitória. Aos 38 minutos, Julio Cesar cobrou falta e Diego Cavalieri fez uma bela defesa. A jogada gerou escanteio. No cruzamento, Gum quase fez gol contra, mas Cavalieri fez nova defesa, mantendo o 2 a 2 como o placar final da partida.

Escalações:

Fluminense: Diego Cavalieri; Wallace, Gum, Anderson e Carlinhos; Edinho, Jean, Wagner (Lanzini) e Thiago Neves; Marcos Júnior (Matheus Carvalho) e Samuel Rosa (Fábio Braga) – Abel Braga.

Figueirense: Ricardo; Pablo, Canuto (João Paulo), Sandro e Guilherme Santos; Ygor, Túlio, Toró (Fernandes) e Ronny; Caio (Luiz Fernando) e Júlio César – Argel Fucks.


Gols: Fluminense: Marcos Júnior (17/1º), Wagner (20/2º)
          Figueirense: Caio (12/2º), Pablo (29/2º)

26 de mai de 2012

Criciúma faz 4 mais uma vez e é o segundo colocado na Série B


Zé Carlos fez ótima partida e distribuiu duas assistências para gols

Zé Carlos fez mais uma boa atuação na Série B. Foto: Mauricio Vieira

O Criciúma venceu o Bragantino na tarde deste sábado pelo placar de 4 a 3. Jogando em Bragança Paulista, no interior de São Paulo, o Tigre chegou a estar vencendo a partida com três gols de vantagem, mas permitiu o adversário descontar no placar.

Zé Carlos fez ótima partida pelo Criciúma e deu duas assistências, optando inclusive pelo passe ao invés do chute em diversas oportunidades. Lucca foi destaque novamente, e fez mais um gol, chegando à artilharia da competição, com três gols.

Outro destaque da partida foi o lateral-esquerdo Marlon, que teve duas chances de gol e teve 100% de aproveitamento, fazendo o primeiro e o quarto gol do Tigre. O Tricolor chegou a ficar com 4 a 1 no placar, mas falhas na defesa atrapalharam a goleada do Tigre.

Com a vitória, o Criciúma chegou aos seis pontos na Série B 2012. A ótima largada com 100% de aproveitamento rende ao Tricolor a segunda colocação na tabela da Série B, com seis pontos, oito gols pró e quatro contra, somando saldo de quatro gols.

O próximo adversário do Tigre será o Vitória, às 21h50 de terça-feira no Heriberto Hülse.


Primeiro tempo:

O jogo começou no estádio Nabi Abi Chedid com chance criada pelo Criciúma. Em cobrança de falta feita por Lucca, Zé Carlos raspou de cabeça e Alê fez a defesa. A resposta do Bragantino veio com Romarinho. O camisa 7 do Bragantino avançou no ataque e chutou de fora da área para a defesa de Douglas.

Aos oito minutos, nova chance para o time da casa. O volante Rodrigo Pontes veio de trás e chutou forte, mas a bola passou pelo lado esquerdo de Douglas Leite. Menos de um minuto depois foi a vez do Tigre chegar. Lucca recebeu pela esquerda, cortou para o meio e chutou bonito. Alê fez a defesa.

O Bragantino teve a chance de abrir o placar aos 11 minutos, mas parou em Douglas Leite. Primeiro Lincom tentou de letra, a bola voltou e ele chutou para a defesa do goleiro tricolor. Seis minutos mais tarde, Lucca cobrou falta direto para o gol, muito perto da meta defendida por Alê.

Romarinho, destaque do Bragantino, armou contra-ataque aos 18 minutos e cruzou para o meio da área. Lincom recebeu a bola sem marcação, mas chutou mal e desperdiçou a oportunidade.

O Tigre jogava nos contra-ataques, mas desperdiçava a maioria deles. A jogada deu certo aos 29 minutos. Zé Carlos avançou com a bola e mesmo em condição de chutar, rolou para Marlon abrir o placar.

O empate do time paulista não demorou. Aos 34 minutos, Romarinho partiu em velocidade. Na tentativa, a bola sobrou para Andrezinho que conferiu e igualou o placar para o Bragantino.

No final do primeiro tempo, o time da casa esteve perto da virada. Silvio recebeu a bola dentro da área e chutou para o gol. Douglas Leite fez bela defesa e salvou o Criciúma. Final de primeiro tempo: 1 a 1.


Segundo tempo:

O Tigre voltou para o segundo determinado para voltar a ficar na frente do marcador. Já aos três minutos, Zé Carlos chutou de fora da área, mas errou o alvo. Aos nove, jogada em velocidade do Criciúma. Zé carregou a bola pela direita e deu sua segunda assistência na partida, rolando para Gilmar fazer o segundo gol do Tricolor.

Quatro minutos mais tarde o time catarinense teve oportunidade para ampliar. Em jogada muito parecida com a do segundo gol. Zé Carlos tocou para Gilmar que chutou fraco para a defese de Alê.

Aos 15 minutos, Lucca fez o terceiro do Tigre. A revelação tricolor avançou pela direita e chutou cruzado, não dando chances para o goleiro. Mesmo vencendo, o Criciúma não saiu do ataque. Zé Carlos, aos 18, avançou pela direita e chutou forte na trave.

Aos 21 minutos, um lance que traduz toda a movimentação do jogo. Primeiro, o Bragantino teve a oportunidade de abrir o placar, dando quatro chutes dentro da área. Todos pararam na zaga, no goleiro e na trave do Criciúma. Menos de um minuto depois, a chance foi do Tigre que também chutou uma bola na trave do Braga.

Aos 25 minutos, o lateral-esquerdo Marlon transformou a vitória tricolor em goleada. Fransérgio deu belo passe para o jogador que tocou por cima do goleiro Alê, um golaço!

Após o 4 a 1 figurar no placar, finalmente a partida ficou menos movimentada. Apenas aos 37 minutos algum lance mais agudo. Lucca bateu falta direto para o gol. Alê fez a defesa.

Um minuto mais tarde, Cezinha diminuiu a vantagem catarinense. De cabeça, o jogador que havia entrado no lugar de Cris fez o segundo gol do Bragantino. O Tigre tentou responder com Zé Carlos, que, de fora da área, chutou por cima do gol.

Aos 42 minutos, Rafael Caldeira colocou o Bragantino de volta no jogo definitivamente. Após cobrança de escanteio, o zagueiro cabeceou fazendo o terceiro do time da casa. O time paulista ainda tentou o empate mas já não havia tempo. Vitória do Tigre por 4 a 3.


Escalações:

Bragantino: Alê; Caldeira, Cris (Cezinha) e Luís Henrique; Léo Jaime, Rodrigo Pontes, Sílvio, Fernando Gabriel e Andrezinho (Alex); Romarinho (Patric) e Lincom.

Criciúma: Douglas; Ezequiel, Nirley, Matheus, Marlon; Elias (Ozeia), Fransérgio (Diego Felipe), Lucca e Kléber; Zé Carlos e Gilmar (Diego Oliveira).


Gols: Bragantino: Andrezinho (34/1º), Cezinha (38/2º), Rafael Caldeira (42/2º)
          Criciúma: Marlon (29/1º, 25/2º), Gilmar (9/2º), Lucca (15/2º)

25 de mai de 2012

JEC empata fora de casa e conquista o primeiro ponto na Série B

0 a 0 com o ABC no Frasqueirão tirou o Tricolor da lanterna

Ramon foi titula do Tricolor. Foto: Frankie Marcone

O Joinville viajou até o natal com a proposta de trazer algum ponto de volta para casa. A missão foi parcialmente cumprida. O empate por 0 a 0 com o ABC no Frasqueirão garantiu ao Tricolor seu primeiro ponto na Série B 2012 e a saída provisória da lanterna do campeonato.

O jogo foi equilibrado em Natal, com dois lances chave que poderiam ter dado a vitória ao JEC. Aos 53 segundos de partida, Lima teve grande oportunidade dentro da área adversária, mas acabou parado pelo goleiro Andrey.

Outro lance importante da partida foi marcado por erro de arbitragem. Eduardo cobrou falta e Pedro Paulo cabeceou, fazendo o gol. O assistente Marcos da Silva Brigido anulou o gol por impedimento do zagueiro tricolor, que estava em posição legal.

Com o resultado, o Joinville passa para a décima quarta posição, com um ponto, um gol pró e quatro contra, somando três gols de revés no saldo. A segunda rodada da Série B será concluída com quatro partidas neste sábado e outras três na terça-feira, dia 5 de junho.

Já na próxima terça-feira, o JEC entra em campo pela terceira rodada. O Tricolor enfrenta o Guarani na Arena Joinville, às 19h30.


Primeiro tempo:

Mesmo fora de casa, quem partiu para cima no início da partida foi o Joinville. A primeira chance aconteceu aos 53 segundos de jogo, quando Lima recebeu bola na área e chutou rasteiro para o gol. Andrey se esticou e defendeu com o pé.

Pouco tempo depois, ainda com um minuto de partida, o ABC respondeu. Em contra-ataque, o lateral-direito Murilo apareceu no ataque e teve boa chance para o time do Rio Grande do Norte.

Aos oito minutos da primeira etapa, Ramon perdeu um gol inacreditável. Com a bola nos pés dentro da área, o veterano meio-campo acabou se desequilibrando e facilitando a defesa do goleiro.

As chances ofensivas foram diminuindo para os dois lados. Aos 17 minutos, em uma das poucas chegadas do ABC, Joelson simulou pênalti e o árbitro Wladyerisson Silva Oliveira mostrou o cartão amarelo para o atacante.

No final de um primeiro tempo morno, o JEC quase sofreu o primeiro gol. Em erro de Ivan após um cruzamento rasteiro, a bola quase sobrou para o ataque do time nordestino.


Segundo tempo:

No segundo tempo, o Joinville seguiu tentando chegar ao gol. Aos oito minutos, Lima recebeu cruzamento na área, mas cabeceou desequilibrado. Sete minutos mais tarde, o lance que definiria o jogo.

Em cobrança de falta feita por Eduardo, o zagueiro Pedro Paulo cabeceou e fez o gol, anulado por Marcos da Silva Brigido. O bandeirinha assinalou impedimento do zagueiro tricolor, que estava em posição legal. Erro da arbitragem.

Aos 22 e 24 minutos da segunda etapa, brilhou a estrela de Ivan, que garantiu o 0 a 0 para o Joinville. No primeiro lanche, Jérson invadiu a área e chutou para a defesa de Ivan. Na segunda, o goleiro defendeu chute rasteiro de Adriano.

Leandro Campos fez suas três mudanças tentando aumentar a efetividade do JEC no ataque, sem sucesso. Ramon, Tiago Real e Lima foram substituídos por Alex, Bruno Tiago e Bruno Rangel.

Aos 42 minutos, o último ataque perigoso do Joinville na partida. Ricardinho cobrou falta direto para o gol com endereço. Andrey chegou primeiro e evitou a entrada da bola no ângulo. Aos 46, as últimas tentativas do ABC, todas salvas pelo goleiro Ivan.


Escalações:

Joinville: Ivan; Eduardo, Pedro Paulo, Maurício e Carlos Alberto; Leandro Carvalho, Glaydson, Ricardinho, Tiago Real (Alex) e Ramon (Bruno Tiago); Lima (Bruno Rangel).

ABC: ABC Andrey; Murilo, Flávio Boaventura, Eduardo e Airton; Bileu, Henik, Jérson (Guto) e Guilherme (Raul); Joelson (Adriano) e Bombinha.

Novidades no Avaí

Saídas de Robinho e Neílson e voltas de Julinho e Evando movimentam o clube


Um dia após completar 101 jogos com a camisa azurra, o meia-atacante Robinho foi desligado do clube para acertar sua ida para o Coritiba. O jogador também teve propostas do Grêmio, mas seu destino será o Coxa.

Outro jogador que deixou o Avaí nesta semana foi o atacante Neílson. O jogador foi emprestado para o Caxias-RS, time treinado por Mauro Ovelha, o mesmo técnico que o trouxe para o Avaí. Como o jogador não vinha sendo aproveitado por Hemerson Maria, ficou acertado o empréstimo para que ele dispute a Série C do Brasileirão pelo time gaúcho.

Voltas

O lateral-esquerdo Julinho, que jogou pelo Avaí em 2010 e 2011 até ser emprestado ao Vasco da Gama, e atualmente estava por empréstimo no Sport está de volta. Segundo dirigentes do time pernambucano, foi Marcelinho Paulista quem solicitou o retorno do jogador ao elenco avaiano.

Julinho, eleito o melhor lateral-esquerdo do Campeonato Catarinense de 2011, saiu do Avaí um pouco contestado pela torcida, pois teria simulado uma lesão para forçar sua ida ao Vasco. O jogador que se apresentava bem com a camisa do Leão não obteve o mesmo sucesso atuando no Vasco e no Sport.

Evando, o autor de um dos gols mais bonitos da Ressacada, contra o Corinthians em 2008 e também autor do gol que levou o Avaí à Série A de 2009, em um jogo contra o Brasiliense acerta sua volta ao Leão.

Jogador de 35 anos, Evando é, além de um atacante que pode entrar no decorrer das partidas e ser decisivo, uma grande jogada de marketing do Avaí. Ele é muito identificado com o clube e a torcida, o que une um grupo de jogadores e também traz pessoas ao estádio.

Esta será sua quinta passagem pelo clube que já defendeu nos anos de 2004, 2007, 2008, 2009 e 2011. Evando volta para encerrar sua carreira no time onde teve suas maiores alegrias e conquistas.

24 de mai de 2012

Séries C e D suspensas por tempo indeterminado

Disputas judiciais levam ao cancelamento do início das competições, que podem nem acontecer em 2012


Por determinação do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) as Séries C e D do Campeonato Brasileiro estão suspensas. As duas competições iniciariam neste final de semana e agora aguardam soluções entre as disputas judiciais que, por enquanto, envolvem cinco clubes.

Araguaína (TO), Brasil de Pelotas (RS), Rio Branco (AC), Santo André (SP) e Treze (PB) esgotaram os recursos da Justiça Desportiva e foram buscar suas vagas através da Justiça Comum. Apesar deste recurso ser legal no Brasil, há uma resolução da Fifa que proíbe clubes a ela afiliados de tomarem esta atitude.

Em meio à uma briga de diferentes decisões em diversas instâncias da Justiça, Rubens Approbato, Presidente do STJD, tomou a decisão de suspender o início das duas competições.

Entenda o caso

O Brasil de Pelotas foi rebaixado da terceira para a quarta divisão nacional ao ser punido com seis pontos por escalar um jogador irregular em uma partida contra o Santo André em 2011.

O clube, com suas justificativas, recorreu na Justiça Desportiva, mas não levou. Inconformados, os dirigentes do clube levaram o caso à Justiça Comum gaúcha, onde ganharam a vaga na Série C. A CBF acatou a decisão e o Brasil entrou na competição no lugar do Santo André, que seria automaticamente rebaixado.

Como as disputas judicias continuam, a direção do time paulista pediu ao STJD a suspensão do início das duas divisões enquanto e através de liminar, Approbato determinou que a CBF não inicie as disputas dos torneios enquanto clubes estiverem brigando na justiça por vagas.

Treze e Rio Branco também estão brigando por uma mesma vaga. O caso é complicado, porque a Justiça Comum paraibana determinou que a vaga é do time de João Pessoa, enquanto no Acre, a decisão é favorável ao time da Capital acreana.

Fifa notificada

Approbato informou a Fifa sobre o caso, para que a entidade máxima do futebol mundial possa se pronunciar. A decisão pode acarretar em problemas graves para o futebol brasileiro, como o desfiliamento da CBF na Fifa.

Esta possibilidade deixa a CBF preocupada, tendo em vista que ela tem permitido que clubes filiados entrem na Justiça Comum para resolver seus litígios, o que é proibido pela federação internacional.

Possíveis saídas

O Presidente do STJD vê como principal saída do caso um acordo entre os clubes. Ele alega que a Justiça possui diversas formas de recursos, por isso a briga poderia se estender por muito tempo. “Um acordo envolvendo todas as partes resolveria isto”, disse Rubens Approbato.

Segundo ele, caso não aconteçam os acordos, fica aberto um precedente para que ainda mais clubes entrem na Justiça por casos semelhantes, o que pode impedir que o campeonato ocorra em 2012.

22 de mai de 2012

Avaí vence São Caetano e é líder da Série B pelo menos até sexta-feira

Pouco mais de quatro mil avaianos viram a vitória do Leão na Ressacada

Cleber Santana foi destaque e fez o gol do jogo. Foto: Kadu Reis

No único jogo disputado pela segunda rodada da Série B nesta terça-feira, o Avaí venceu o São Caetano por 1 a 0 na Ressacada. A vitória magra veio com gol de pênalti marcado por Cleber Santana, melhor jogador avaiano em campo.

O jogo em Florianópolis foi de poucas emoções e marcado pela proposta do time visitante em se defender. O Leão conseguiu furar a defesa adversária poucas vezes, enquanto o Azulão chegou pouco, apenas nos contra-ataques.

Na primeira etapa, a melhor oportunidade gol do Avaí foi com Ronaldo Capixaba. O atacante que jogou no lugar de Nunes, que não pôde entrar em campo por questões contratuais, recebeu a bola dentro da pequena área, dominou, fez o giro e tentou finalizar, mas escorregou.

No segundo tempo, o Leão chegou com Patric que avançou pela direita e acabou perdendo um gol incrível ao tentar tirar a bola do goleiro. Pirão também teve sua chance em falta cobrada em dois toques. O lateral-esquerdo recebeu de Cleber Santana e chutou forte, acertando a trave.

O gol de pênalti marcado por Cleber Santana aos 23 minutos foi o suficiente para a vitória avaiana. Após o gol, o Leão diminuiu a velocidade, esperando o final da partida sem sofrer ameaças do São Caetano.

Com a vitória, o Avaí chegou aos quatro pontos na Série B e é o atual líder. As outras nove partidas da segunda rodada da competição acontecem na sexta-feira e no sábado. O próximo adversário do Leão é o América de Natal na próxima terça-feira, 29.


Primeiro tempo

O jogo começou com domínio avaiano na Ressacada. Logo aos três minutos do primeiro tempo, Robinho lançou Cleber Santana, que dentro da área, dominou a bola no peito, mas foi desarmado no momento do chute para o gol.

Após a primeira chegada avaiana, o jogo começou a esfriar. A proposta do São Caetano era permanecer na defesa e jogar nos contra-ataques, enquanto o Avaí estava muito dependente de Cleber Santana, já que Ronaldo Capixaba e Felipe Alves eram pouco efetivos.

Aos 11 minutos do primeiro tempo o Leão construía uma jogada em contra-ataque armado por Robinho. No momento do último toque, o camisa 100 tentou enfiar a bola em velocidada pra Ronaldo Capixaba, mas ele estava impedido.

Robinho seguia tentando e após receber bola de Cleber Santana, triangulou com Capixaba e recebeu dentro da área, ficando em condições de chute. Ao invés disso, preferiu tocar para Felipe Alves, que não alcançou a bola, defendida pelo goleiro Luiz.

O time do ABC paulista teve apenas duas chances no primeiro tempo. Na primeira, Somália cabeceou para a defesa de Diego. Na segunda, Anselmo cruzou para Pedro Carmona, que dentro da pequena área, cabeceou para fora.

Aos 29 minutos o Avaí teve sua melhor chance no primeiro tempo. Em bela jogada de Robinho, Ronaldo Capixaba dominou na pequena área e fez o giro. No momento de concluir para gol o jogador escorregou, desperdiçando a chance.

O final do primeiro tempo foi truncado e dois jogadores de cada time receberam cartão amarelo. Pelo Avaí, Aelson e Felipe Alves. Pelo São Caetano, Augusto Recife e Anselmo.


Segundo tempo

O Avaí voltou para o segundo tempo diferente. O lateral-esquerdo Aelson quebrou um dente na primeira etapa e foi substituído por Diogo Orlando. O volante entrou para jogar onde ficava Pirão, que foi deslocado para a esquerda.

Logo aos dois minutos o Avaí teve uma grande oportunidade. Patric recebeu bola enfiada e ficou cara a cara com Luiz. O lateral avaiano tentou tirar do goleiro, mas a bola passou ao lado direito do gol do São Caetano.

Patric seguiu sendo protagonista no segundo tempo. Aos quatro minutos, jogada de Cleber Santana e toque para o camisa 2 que chutou forte. A bola foi desviada na zaga adversária e foi para fora.

Aos cinco minutos, chance para o São Caetano. Somália recebeu na ponta direita, entrou na área e chutou a bola para fora. O Avaí respondeu dez minutos depois. Após cobrança de falta em dois toques, Pirão recebeu a bola, chutou forte na entrada da área e acertou a trave do goleiro Luiz.

O gol avaiano amadurecia em diversas jogadas e apareceu em um pênalti. Gabriel derrubou Ronaldo Capixaba dentro da área aos 23 minutos. Na cobrança, Cleber Santana bateu com tranquilidade no canto direito, abrindo o placar na Ressacada.

O São Caetano tentou responder com Anselmo, que avançou pela ponta esquerda e chutou forte acertando a rede pelo lado de fora. No final da segunda etapa, o time do ABC não conseguia chegar e o Avaí não fazia força para aumentar o placar. Final de jogo: 1 a 0.


Escalações:

Avaí: Diego; Patric, Renato Santos, Leandro Silva e Aelson (Diogo Orlando); Pirão, Mika, Robinho (Diego Palhinha) e Cléber Santana; Nunes e Felipe Alves (Laércio Carreirinha).

São Caetano: Luiz; Samuel Santos, Gabriel, Vagner e Diego; Moradei, Augusto Recife, Anselmo (Geovane), Pedro Carmona e Marcelo Costa (Aílton); Somália (Leandrão).


Gols: Avaí: Cleber Santana (24/2º)

Reportagem relembra título da Série B do Criciúma há dez anos


Colaborador de Santa Catarina FC em Criciúma, Eduardo Prestes fez esta reportagem especial lembrando o título da Série B conquistado pelo Tigre há dez anos.



21 de mai de 2012

OPINIÃO: Primeira rodada do Brasileirão


Figueira e Criciúma largam na frente

Este será um post que acontecerá após cada uma das 38 rodadas do Brasileirão nas Séries A e B e também das partidas envolvendo catarinenses nas Séries C e D. Comentaremos os resultados obtidos pelos times do estado e qual suas atuais colocações dentro dos campeonatos.

Quatro representantes de Santa Catarina jogaram pelo campeonato nacional neste final de semana, nas duas primeiras divisões. A terceira e a quarta terão seu início a partir do próximo final de semana. A Chapecoense é nossa representante na Série C, enquanto na D temos o Metropolitano e o Marcílio Dias.

Série A

Nosso representante na primeira divisão nacional venceu sua partida de estreia em casa contra o Náutico por 2 a 1, somando três pontos importantes na largada da competição. Como cada time jogou apenas uma partida no campeonato, quem venceu ficou na ponta de cima da tabela. O Figueira, com três pontos, dois gols pró e um de saldo é o terceiro colocado, empatado com o Vasco.

Série B

Dos vinte times que disputam a segunda divisão, três são catarinenses. O destaque positivo entre os times barrigas-verdes foi o Criciúma, que fez bonito contra o Guaratinguetá em casa, 4 a 1. Estreando com goleada no Heriberto Hulse, o Tigre termina a primeira rodada com três pontos, quatro gols pró e três de saldo, e está empatado na segunda posição com o Atlético Paranaense.

O Rubro-Negro do Paraná está nesta colocação pela vitória diante do JEC na Arena Joinville. Perdendo de 4 a 1, o Tricolor não somou nenhum ponto, tem apenas um gol pró e um revés de três no saldo. A derrota trouxe ao Coelho a décima nona posição, empatado com o Guaratinguetá, que perdeu para o Tigre.

O Avaí apenas empatou com o Boa Esporte na cidade de Varginha, em Minas Gerais. O resultado teve um lado positivo devido à situação da partida, onde o Leão poderia ter saído derrotado. O 2 a 2 contra o time mineiro trouxe ao time azurra a oitava colocação na Série B, ao lado de seu adversário do último sábado. O Avaí tem um ponto, dois gols pró e zero de saldo.

Destaques positivos

Figueirense: estreia de Argel e Caio, ambos com o pé direito;
Criciúma: Lucca e Zé Carlos – dois gols cada um;
Avaí: Cleber Santana mais uma vez sendo decisivo;
Joinville: torcida – mais de 13 mil na Arena;

Destaques negativos

Figueirense: público – pouco mais de cinco mil;
Criciúma: público – pouco mais de cinco mil;
Avaí: se quiser subir terá de vencer equipes como o Boa;
Joinville: zaga – permitindo bolas paradas, mal no alto, mal por baixo, deixou o ataque adversário fazer a festa;


Entre na nossa liga no Cartola FC! Por enquanto, time SantaCatarinaFC é líder. Vamos ver quem é o melhor treinador virtual! http://cartolafc.globo.com/#!/liga/blog-santacatarinafc.

19 de mai de 2012

Figueirense vence Náutico com gol no último minuto


Talismã Caio estreou bem e fez o gol da vitória alvinegra

Roni fez ótima partida no estádio Orlando Scarpelli. Foto: Kadu Reis

Jogando no estádio Orlando Scarpelli, o Figueirense de Argel Fucks mostrou ter superado a derrota para o Avaí no Campeonato Catarinense e venceu o Náutico em sua estreia na primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

O jogo, de número 304 para o goleiro recordista Wilson, foi de ótimas defesas. Para o ídolo Fernandes, que entrou no segundo tempo, representou mais um gol pelo Figueira. E para Caio, estreante, representou começar uma trajetória com o pé direito.

O Figueirense passou pelo Náutico pelo placar de 2 a 1, mas a vida alvinegra não foi fácil. Jogando melhor durante toda a partida, o primeiro gol do Furacão saiu apenas aos 31 minutos do segundo tempo.

Logo após o gol do Figueira, Araújo empatou de pênalti para o Náutico. Com os 5315 torcedores com ânimo à flor da pele, o Figueirense botou o dois a um no placar apenas aos 49 minutos da segunda etapa, com gol de Caio.

Em ótima partida de Toró, que retornou ao time, e de Roni, o Figueira sai vencedor e dorme na liderança da Série A. O próximo compromisso alvinegro é contra o Fluminense no Rio de Janeiro, no domingo, 27, às 18h30.


Primeiro tempo:

O Figueirense pressionou o Náutico durante todo o primeiro tempo. Já aos três minutos, o time do estádio Orlando Scarpelli teve chance de gol, com Guilherme Santos, que cruzou a bola na área direto para o gol. Gideão se esticou e fez a defesa.

Jogando com três volantes, o Figueira mantinha Toró fixo junto com Ygor enquanto Túlio jogava com mais liberdade. Caio, o estreante da noite, era o destaque pelo lado alvinegro, sendo muito agudo nas jogadas de ataque.

Aos 12 minutos o Furacão do Estreito chegou bem ao ataque, com chute de longe de Pablo. Um minuto depois veio a melhor oportunidade do primeiro tempo. Roni avançou pela direita, entrou na área e chutou cruzado, muito próximo ao gol defendido por Gideão.

Guilherme Santos também arriscou para o gol, com chute de fora da área. O Náutico teve sua primeira chance de abrir o placar apenas aos 25 minutos. Araújo cobrou escanteio direto para o gol e Wilson fez boa defesa.

Roni chegou ao ataque mais uma vez, aos 30. O camisa 9 bateu de fora da área, acertando a rede pelo lado de fora. Dois minutos depois, Caio, o melhor jogador do primeiro tempo, apareceu novamente. Após iniciar a jogada, o Talismã apareceu na área e cabeceou por cima do gol.

O Timbu chegou a sua segunda, e última, oportunidade de gol aos 35 minutos. Auremir avançou pela direita e bateu para o gol, de fora da área. A bola passou à direita do gol defendido por Wilson, que completava 304 gols com a camisa alvinegra, se igualando ao seu treinador Peçanha, goleiro que mais vezes defendeu a meta do Figueirense.

Nos minutos finais da primeira etapa o Figueira continuou tentando chegar ao gol, mas sem sucesso. Apesar de acertar mais de 90% dos passes e ter maior posse de bola, o Furacão pressionou durante todo o primeiro tempo e não conseguiu abrir o placar.


Segundo tempo:

O Náutico voltou do intervalo querendo partir para cima do Figueirense. A um minuto de jogo Araújo chegou ao gol alvinegro e bateu para fora. O Furacão respondeu com bela jogada de Toró que tocou para Túlio que chutou de esquerda para a defesa de Gideão.

O Figueira voltou a dominar as ações em campo. Em inversão de Toró, Roni recebeu dentro da área, matou a bola no peito e chutou por cima. Aos 12 minutos o ídolo alvinegro Fernandes entrou no lugar de Luiz Fernando para dar maior movimentação ao meio campo do Figueirense.

Roni chegou mais uma vez e parou em Gideão após chute rasteiro. Aos 16 minutos outra grande chance para o Furacão. Roni cruzou para Toró que ficaria cara a cara com o gol, mas não chegou a tempo na bola.

O camisa 9 alvinegro, Roni, chegava muito ao ataque e aos 18 minutos fez outra bela jogada. Após driblar três defensores, o atacante bateu a direita do gol do Náutico. O lateral-direito Pablo que não fazia boa partida foi substituído por Coutinho.

A partir dos 25 minutos, Araújo começou a aparecer no jogo. Em jogada individual no contra-ataque, o atacante do Timbu ficou de frente com Wilson, mas perdeu um gol incrível.

Fernandes foi quem fez o primeiro gol do Figueirense na Série A do Brasileirão. Aos 31 minutos, o ídolo alvinegro avançou sozinho pelo meio, driblou dois zagueiros e bateu no canto de Gideão. 1 a 0 para o Figueirense.

Os 5315 torcedores presentes ainda comemoravam quando o árbitro Arilson Bispo da Anunciação marcou pênalti para o Náutico. Na cobrança, o atacante Araújo empatou a partida.

Araújo chegou ao ataque mais uma vez e chutou na rede pelo lado de fora. Satisfeito com o placar, o Timbu tentou travar o jogo e Ramon ficou caído no gramado por cerca de dois minutos.

O Figueira tentava desesperadamente a vitória. Aos 45 minutos, Roni perdeu um gol muito perto ao gol de Gideão. Aos 48 tentativa de Túlio de cabeça. Um minuto mais tarde, o Talismã Caio, que fez ótimo primeiro tempo, mas não apareceu no segundo, tentou de bicicleta. Gideão espalmou e Caio, no rebote, fez seu gol na estreia e deu a vitória ao Figueirense.


Escalações:

Figueirense: Wilson, Pablo (Coutinho), Canuto, Sandro e Guilherme Santos; Ygor, Túlio, Toró (Willian Pottker) e Luiz Fernando (Fernandes); Roni e Caio.

Náutico: Gideão, Auremir, Ronaldo Alves, César Marques e Márcio Rosário; Derley, Elicarlos, Souza (Glaydson) e Cléverson (Lucio); Ramon (Ramires) e Araújo.


Gols: Figueirense: Fernandes (31/2º), Caio (49/2º)
          Náutico: Araújo (34/2º)